Razões do Blog


Este blog foi criado para apoiar a candidatura de José Serra à presidência do Brasil, por entendermos ser o candidato mais preparado, em todos os aspectos pessoais, políticos e administrativos. Infelizmente o governo assistencialista de Lula e a sua grande popularidade elegeram Dilma Rousseff.
Como discordamos totalmente da ideologia e dos métodos do PT, calcados em estatismo, corporativismo, aparelhamento, autoritarismo, corrupção, etc., o blog passou a ser um veículo de oposição ao governo petista. Sugestões e comentários poderão ser enviados para o email pblcefor@yahoo.com.br .

terça-feira, 6 de julho de 2010

O apedeuta está temeroso com a derrota

DEU EM O GLOBO

PT espera que Lula tire licença

Apesar de Planalto negar, plano visa a socorrer Dilma se empate persistir
Gerson Camarotti

O comando da campanha presidencial do PT planeja reservadamente que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva tire licença do cargo em setembro para se dedicar à campanha de sua candidata, Dilma Rousseff.
A licença acontecerá, dizem os petistas, se o cenário de empate nas pesquisas com o candidato tucano, José Serra, for mantido até agosto, depois do início do horário eleitoral gratuito no rádio e na TV.
Lula seria uma espécie de "plano B" para tentar desequilibrar o jogo a favor de Dilma. Fora da Presidência, ficaria colado nela nos eventos públicos, como comícios e outras atividades de campanha, para pedir votos para a petista sem risco de ser multado pela Justiça Eleitoral.
Caso Dilma esteja na frente nas pesquisas no fim de agosto, Lula continuará no governo e fará campanha só depois do expediente (a partir das 18h) e nos fins de semana. A estratégia é tratada com cautela por dirigentes partidários, mas defendida abertamente por petistas e aliados.
— Fizemos uma avaliação política. Se necessário, Lula vai se licenciar. Vamos precisar estudar as pesquisas. Se a eleição tiver empatada em agosto, vamos usar o plano B, no caso, Lula — afirma o deputado Devanir Ribeiro (PT-SP), amigo do presidente.
— Quero que o Lula entre na campanha para não ter dúvida e resolver logo a parada no primeiro turno. Com isso, ficamos livres no segundo turno para ajudar nossos candidatos nos estados.
A licença do presidente também é admitida por integrantes da campanha e defendida fortemente por aliados. A avaliação é que a presença de Lula no palanque muda o cenário da disputa, principalmente porque ele está no auge da popularidade. Aliados acham que Lula pode compensar a inexperiência de Dilma em campanhas eleitorais.
— A presença integral de Lula na campanha pode ser decisiva para ganhar no primeiro turno. Há necessidade da licença do governo para se dedicar à eleição de Dilma. Por que temos que correr o risco de nova campanha no segundo turno? A continuidade do projeto é muito importante — disse o líder do PMDB, deputado Henrique Eduardo Alves (RN).
Segundo petistas, o presidente está com o caminho livre para tirar licença em setembro. No fim de março, Lula pediu ao vice-presidente, José Alencar, que não concorresse ao Senado por Minas, e foi atendido.
Se Alencar disputasse, não poderia assumir o governo nas ausências de Lula, ou ficaria inelegível. Como o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), também não poder assumir o cargo pelo mesmo motivo, a Presidência seria exercida na interinidade pelo presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).
Integrantes do governo temiam o desgaste para a campanha da Dilma — no ano passado, Sarney foi protagonista da crise do Senado, com denúncias de nepotismo.
Integrantes da cúpula do PT e do Palácio do Planalto dizem que uma eventual licença do presidente Lula só será confirmada em cima da hora.
— Taticamente, a licença do presidente Lula é uma carta que você não conta que tem, joga na hora certa. Se alguém está falando, não devia. Não vamos anunciar antes — disse o secretário de Assuntos Institucionais do PT, deputado Geraldo Magela (DF).


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.